História

CLUBE RAQUETE ESTRELAS DAS AVENIDAS

O Clube foi fundado em 13 de Setembro de 2005.
A sua criação resultou da necessidade de legalizar a atividade desenvolvida – a sua estrutura assentava numa secção de Badminton do Centro Recreativo Estrelas da Avenida, clube que estava em processo de extinção.

CENTRO RECREATIVO ESTRELAS DA AVENIDA

Fundado a 27 de Abril de 1976, o Centro Recreativo Estrelas da Avenida, instituição desportiva de utilidade pública, com sede em Lisboa, foi ao longo dos anos ganhando mérito e destaque em modalidades desportivas tais como o Basquetebol, Voleibol, Andebol, no Xadrez e… no Badminton!

Foi na época de 1981/1982 que o badminton surgiu como secção desportiva no CREA com a transferência de alguns jogadores do Centro Português de Badminton. Foi o início de uma larga temporada durante a qual o CREA se afirmou como clube de badminton em Portugal e no estrangeiro, ajudando a promover a modalidade e conquistando títulos e notoriedade. Formou-se a escola de jogadores do CREA, e só na primeira época passaram por ela 32 jovens. De entre uma série de vitórias nos Torneios Nacionais, foi conquistado o título de Campeão Nacional de Equipas Mistas, que levou a secção de badminton à participação na Taça dos Clubes Campeões Europeus em Antuérpia, na Bélgica. O CREA classificou-se em 2º lugar do grupo, um excelente resultado tendo em conta a desigualdade na divulgação da modalidade comparativamente com outros países europeus.

Em 1982/1983 o CREA renova o título de Campeão Nacional de Equipas Mistas. Na época 1983/1984 saem um grupo de jogadores (A. Moura, António Crespo, António Martins, Margarida Cruz, Isabel Castanheira, José Pessoa, Paulo Silva) e entram no CREA, por convite da Direcção, um grupo de jogadores do Centro Popular e Recreativo da Encarnação (Acácio Ramos, João Nero, Marisa Leong, Maria Manuel Angélico, José Carlos Nascimento, Luis de Carvalho, António Pinto Leite, António Canhoto e João Baptista) que enriquecem o nível de prática da secção.

Na época de 1985/1986 a equipa do CREA é a segunda melhor equipa a nível nacional, com 30 jogadores federados. Obtém 31 primeiros lugares e 28 segundos lugares nos torneios realizados nessa época. Paula Sousa e José Nascimento representam Portugal na primeira  Copa Latina, nos Internacionais de França e na Plume D’Or na Áustria. Nos campeonatos
Internacionais de Portugal Paula Sousa vence a prova de pares senhoras com Margarida Cruz (Badminton Clube de Portugal).

Na época de 1986/1987 com o reforço de dois dos melhores jogadores portugueses, Rosária Cavaco e José Brandão, e apesar da saída por lesão de Paula Sousa, o CREA sagra-se Campeão Regional em Equipas Homens, Senhoras e Mistas, e Campeão Nacional em Equipas Homens e
Mistas. Representa Portugal na Taça dos Clubes Campeões Europeus pela 3ª vez, na cidade de Villach, Áustria, com a orientação técnica de Acácio Ramos. Obtém o 3º lugar do seu grupo.

Da esquerda para a direita, começando por cima: Acácio Ramos (Treinador), José Brandão, Pinto Leite (), João Nero, Maria José Gomes, José Nascimento, João Ramos, Iolanda Oliveira, Rosário Cavaco, António Canhoto, Marisa Leong.

Na época 1987/1988, em Setembro de 1988, o CREA, na qualidade de campeão nacional de equipas mistas da 1ª divisão participa na 11ª edição da TCCE em Moscovo, com a participação recorde de 19 países

Na época de 1988/89, vencedores pela 5ª vez do Campeonato Nacional de Equipas Mistas da 1ª divisão, o CREA disputa a Taça dos Clubes Campeões Europeus em Setembro de 1989, em San Javier, Espanha

O CREA na Taça dos Clubes Campeões Europeus:

1980/81: Copenhaga – 4ª edição da taça
1981/82: Antuérpia – 5ª edição
1986/87: Áustria – 10ª edição
1987/88: Moscovo – 11ª edição
1988/89: San Javier – 12ª edição

Em 1989/1990 dá-se o abandono de alguns jogadores da modalidade, tais como Rosária Cavaco e José Brandão e a saída de Iolanda Oliveira para a Madeira, de Maria José Gomes e José SimSim para Évora, que enfraquece o grupo. Ainda assim o CREA consegue alcançar o 2º lugar do Campeonato Nacional de Equipas Mistas da 1ª divisão.

Em 1990/1991 com o abandono natural de grande parte dos jogadores, acaba a secção de Badminton que tanto prestígio deu ao nome do clube. Também é nesta altura que a secção de badminton do Clube TAP, por dificuldades do seu pavilhão, começa a treinar na Escola  Secundária Afonso Domingues juntamente com alguns jogadores da então extinta secção de badminton do CREA que para aí se transferem.

Entre 1991 e 2000 a secção de badminton do Clube TAP treina nas escolas Afonso Domingues e Cesário Verde com um grupo de filiados mais abrangente, de escalões etários e categorias mais alargado. Os atletas do Clube TAP competem em torneios federados e torneios abertos. Participam ainda em vários torneios internacionais de companhias aéreas

Em 2000/2001 o Clube TAP começa a treinar na Escola Secundária D. Filipa de Lencastre (Areeiro), com as condições de acessibilidade e de treino melhoradas e com novas aquisições, principalmente nas camadas mais jovens. No final da época a TAP encerra a secção de badminton.

Para ultrapassar questões burocráticas que pudessem impedir a continuação da prática desportiva do grupo existente, e atendendo ao processo de dissolução do Centro Recreativo Estrelas da Avenida que decorria, procedeu-se ao pedido de filiação do grupo de badminton no CREA até que nova solução fosse encontrada, sem qualquer encargo por parte da Direção para com o grupo de Badminton, e dando-se apenas autorização para a utilização do nome do clube, voltando assim o badminton a funcionar como secção durante 4 épocas.

Assim, na época 2001/2002 a secção de badminton do CREA renasce com este grupo de praticantes, em autogestão, com estrutura autónoma, contando com o apoio total da direcção do clube, funcionando de uma forma independente e com o espírito de promover, de iniciar, de ensinar, de praticar e de competir. Iniciam a participação em torneios federados, torneios abertos e alguns torneios internacionais. Na época de 2002/2003 foi conseguido um total de 45 primeiros lugares e 66 segundos lugares em provas do circuito nacional em séniores e não
séniores. Em 2003/2004 o número de praticantes aumentou consideravelmente tendo obtido um total de 50 primeiros lugares e 42 segundos lugares em provas de ambos os escalões etários.

CLUBE RAQUETE ESTRELAS DAS AVENIDAS

Perante a necessidade de legalizar a atividade desportiva que se vinha a desenvolver desde 2001, é constituído, em 2005, o Clube Raquete Estrelas das Avenidas (CREA), com sede no Concelho de Lisboa. Os treinos do clube mantém-se nos pavilhões da Escola Secundária D.Filipa de Lencastre (EDFL), no Areeiro. Por obras na EDFL, o CREA treina durante 3 épocas  (2008/2009, 2009/2010 e 2010/2011) na escola Nuno Gonçalves, voltando a treinar na EDFL na época 2011/12, onde se mantém até à data.

O CREA desde a sua constituição que se notabilizou como um clube de formação, demonstrado pela quantidade de atletas de nível nacional que iniciaram a sua formação no clube. Conta também com várias chamadas para selecções nacionais e participações em campeonatos internacionais de atletas não-séniores. Para além disso, o CREA orgulha-se de, em anos
recentes, ver em todas as épocas vários dos seus atletas Séniores subir de Categoria.

A nível individual, o CREA tem conquistado vários títulos a nível regional e nacional, com especial incidência para as categorias Séniores mais baixas (C e D), em que se tornou uma presença constante nos lugares cimeiros dos rankings nacionais, com a conquista de vários Campeonatos Nacionais.

Na época 2008/2009 os atletas não seniores obtiveram 16 primeiros e 1 segundo lugar nas competições nacionais a que se juntaram 3 títulos nacionais. Os seniores obtiveram 13 primeiros e 6 segundos lugares e mais 6 títulos nacionais. Na época 2009/2010 os NS conseguiram 6 segundos lugares. Os seniores obtiveram 21 primeiros lugares (onde se
destacam 6 títulos nacionais) e mais 11 segundos lugares. Em 2010/2011 apenas se destacam 5 primeiros e 6 segundos lugares conseguidos pelos NS e 9 primeiros e 4 segundos pelos seniores.

Na época 2015/16 (já com o atual sistema competitivo –zonais e nacionais), os atletas NS obtiveram 12 primeiros e 29 segundos lugares. Os 72 primeiros e 50 segundos lugares conseguidos pelos nossos atletas seniores nesta época fizeram com que o CREA fosse o clube a conseguir maior número de classificados em finais, sendo que 4 das vitórias obtidas
resultaram em 4 títulos nacionais. Nos rankings de NS, 1 primeiro lugar alcançado no zonal e 1 primeiro lugar no ranking nacional. Nos seniores foram 6 primeiros lugares no ranking zonal e 5 no ranking nacional.

Na época de 2016/17 os atletas NS obtiveram 23 vitórias e 12 segundos lugares nas competições disputadas e tiveram 3 primeiros lugares no ranking zonal e 2 primeiros no ranking nacional. Os atletas seniores conseguiram 38 vitórias e 41 segundos lugares. Nos rankings conseguiram 8 primeiros lugares no zonal e 2 no nacional.

Na época 2017/18, 10 vitórias e 8 segundos lugares foram os resultados obtidos pelos NS, que tiveram 1 primeiro lugar no ranking zonal. Os seniores venceram 26 vezes e obtiveram 42 segundos lugares e conseguiram ainda 5 primeiros lugares no ranking zonal e mais 3 primeiros no ranking nacional. Encerraram a época com 4 atletas a obterem 2 títulos nacionais.

Nas provas de equipas Não Seniores, a Equipa Masculina sub-17 ficou com o 3º lugar do pódio na época 2013/2014 e no ano seguinte obtém o 2º lugar (2014/2015). Mais tarde, a mesma Equipa viria a ganhar mais um 2º lugar, desta vez no escalão sub-19 (época 2016/2017). Na época 2018/2019, o CREA participou ainda na primeira ronda de eliminatórias com uma Equipa Mista em sub-17

Equipa Homem Sub17 CREA

Campeonato Nacional Equipas Masculinas Não Seniores Sub-17 – 2014/2015 – CAR Caldas Rainha

Da esquerda para a direita, começando por cima: Luis Santos (Treinador), Filipe Gomes, Rodrigo Correia, Pedro Santos, Francisco Mendes, Tomás Correia, Acácio Ramos (Treinador)

Campeonato Nacional de Equipas Mistas Não-Séniores | CREA Badminton – Lisboa

Campeonato Nacional Equipas Mistas Não Seniores Sub-17 – 2018/2019 – CAR Caldas Rainha

Da esquerda para a direita, começando por cima: Tomás Lopes, Luis Santos (Treinador), André Lencart, Rodrigo Correia (Treinador), Miguel Pires, Tiago Salteiro, Constança Batista, Madalena Carocha, Carolina Morais

A nível de provas de equipas Séniores, destacam-se os três Vice-Campeonatos consecutivos da Equipa Masculina Sénior na 2ª Divisão (épocas 2015/2016, 2016/2017 e 2017/2018) e o 3º lugar em 2018/2019. Nas Equipas Mistas Séniores foi conquistado o 3º Lugar na 2ª Divisão na época 2016/2017 e o 4º lugar em 2017/2018 e 2018/2019. Para além disso, a Equipa Feminina Sénior é presença assídua na 1ª Divisão, na qual se destaca o 4º Lugar na época 2017/2018 e o 5º lugar (que garantiu a manutenção) na época 2018/2019.

Campeonato Nacional Equipas Mistas Seniores – 2017/2018 – CAR Caldas Rainha

Da esquerda para a direita, começando por cima: David Gonçalves, João Caetano, Acácio Ramos (Treinador), Tomás Correia, Rodrigo Correia, Ana Justino, Patrícia Estrompa, Joana Silveira, Catarina Ribeiro

Na época 2019/2020, a primeira temporada desportiva com nova configuração das competições entre clubes através da criação da Liga Clubes (Equipas Mistas) disputada através de 3 jornadas concentradas regulares ao longo da época e culminando com uma fase final (final four), o CREA garantiu a qualificação para a final four da prova, tendo-se classificado em 4º lugar da 2ª Divisão.

Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas, pessoas em pé e texto que diz "Team Winner"

Liga Clubes – Final Four – 2019/2020 – CAR Caldas Rainha

Da esquerda para a direita, começando por cima: David Gonçalves, Magali Dufour, Luis Santos (Treinador), João Caetano, Pedro Santos, Patrícia Estrompa, Miguel Pires, Margarida Rodrigues, Joana Silveira, Rodrigo Correia