História do Clube

badminton pista volante

CLUBE RAQUETE ESTRELAS DA AVENIDA

O Clube foi fundado em 13 de Setembro de 2005.
A sua criação resultou da necessidade de legalizar a actividade desenvolvida – a sua estrutura assentava numa secção de Badminton do Centro Recreativo Estrelas da Avenida, clube que estava em processo de extinção.

HISTÓRIA DO CENTRO RECREATIVO ESTRELAS DA AVENIDA

Fundado em 1976, mais precisamente no dia 27 de Abril, o Centro Recreativo Estrelas da Avenida, instituição desportiva de utilidade pública, com sede em Lisboa, foi ao longo dos anos ganhando mérito e destaque em modalidades desportivas tais como o Basquetebol, Voleibol, Andebol, no Xadrez e claro… no Badminton!

Em 1981 por iniciativa de alguns jogadores do Centro Português de Badminton, entre eles o António Carreiro, transferiram-se para o CREA. Foi o início de uma larga temporada durante a qual o CREA se afirmou como clube de badminton em Portugal e no estrangeiro, ajudando a promover a modalidade e conquistando títulos e notoriedade.

Foi na época de 1981/1982 que o badminton no CREA fez o grande arranque. Formou-se a escola de jogadores do CREA, e só no primeiro ano passaram por ela 32 jovens. De entre uma série de vitórias nos Torneios Nacionais, o título de Campeão Nacional de Equipas Mistas levou-nos mais uma vez à paricipação na Taça dos Clubes Campeões Europeus desta feita em Antuéria, na Bélgica. O CREA obteve um excelentíssimo resultado, tendo em conta a desigualdade na divulgação da modalidade comparativamente com outros países europeus. Classificámo-nos em 2º lugar do grupo!

Em 1982/1983 o CREA renova o título de Campeão Nacional de Equipas Mistas. Na época 1983/1984 saem A. Moura, António Crespo, António Martins, Margarida Cruz, Isabel Castanheira, José Pessoa, Paulo Silva, e entram no CREA, por convite da direcção, um grupo de jogadores do Centro Popular e Recreio da Encarnação: Acácio Ramos, João Nero, Marisa Leong, Maria Manuel Angélico, José Carlos Nascimento, Luis de Carvalho, António Pinto Leite, António Canhoto e João Baptista.

Na época de 1985/1986 a equipa do CREA é a segunda melhor equipa a nível nacional, com 30 jogadores federados. Obtém nada mais nada menos que 31 primeiros lugares e 28 segundos lugares nos torneios realizados nessa época! Paula Sousa e José Nascimento representam Portugal na primeira Copa Latina, nos Internacionais de França e na Plume D’Or na Austria. Nos campeonatos Internacionais de Portugal Paula Sousa vence a prova de pares senhoras com Margarida Cruz (do Badminton Clube de Portugal).

Na época de 1986/1987  com o reforço de dois dos melhores jogadores portugueses, Rosária Cavaco e José Brandão, e apesar da saída por lesão de Paula Sousa, o CREA sagra-se Campeão Regional em Equipas Homens, Senhoras e Mistas, e Campeão Nacional em Equipas Homens e Mistas. Representa Portugal na Taça dos Clubes Campeões Europeus pela 3ª vez, na cidade de Villach, Áustria, com a orientação técnica de Acácio Ramos. Obtém o 3º lugar do seu grupo.

Da esquerda para a direita, começando por cima: Acácio Ramos (Treinador), José Brandão, Pinto Leite (), João Nero, Maria José Gomes, José Nascimento, João Ramos, Iolanda Oliveira, Rosário Cavaco, António Canhoto, Marisa Leong.

Na época 1987/1988, em Setembro de 1988, o CREA, na qualidade de campeão nacional de equipas mistas da 1ª divisão participa na 11ª edição da TCCE em Moscovo, com a participação recorde de 19 países.

Na época de 1988/89, vencedores pela 5ª vez do Campeonato Nacional de Equipas Mistas da 1ª divisão, o CREA disputa a Taça dos Campeões Europeus em Setembro de 1989, em San Javier, Espanha.

O CREA na Taça dos Clubes Campeões Europeus:

1980/81: Copenhaga – 4ª edição da taça
1981/82: Antuérpia – 5ª edição
1986/87: Áustria – 10ª edição
1987/88: Moscovo – 11ª edição
1988/89: San Javier – 12ª edição

Em 1989/1990 dá-se o abandono de alguns jogadores da modalidade, tais como Rosária Cavaco e José Brandão e a saída de Iolanda Oliveira para a Madeira, de Maria José Gomes e José SimSim para Évora, que enfraquece o grupo. Ainda assim o CREA consegue alcançar o 2º lugar do Campeonato Nacional de Equipas Mistas da 1ª divisão.

Em 1990/1991 com o abandono natural de grande parte dos jogadores, acaba a secção de Badminton, que tanto prestígio deu ao nome do clube. Também é nesta altura que o Clube TAP, por dificuldades do seu pavilhão, começa a treinar na Escola Secundária Afonso Domingues juntamente com alguns jogadores do então extinto CREA.

Entre 1991 e 2000 o Clube TAP treina na Afonso Domingues e também na Cesário Verde com um grupo de filiados mais abrangente, de escalões etários e categorias mais alargado.Os atletas do Clube TAP competem em torneios federados e torneios abertos. Participam ainda em vários torneios internacionais de companhias aéreas.

Em 2000/2001 o Clube TAP treina na Escola Secundária Filipa de Lencastre, com as condições de acessibilidade e de treino melhoradas e com novas aquisições, principalmente na camada mais jovem. Existem novas ideias e novas propostas para a divulgação da modalidade, que, só é possível colocar em prática com o encerramento da secção de badminton do Clube TAP e o renascer de um novo CREA.


HISTÓRIA DO CLUBE RAQUETE ESTRELAS DA AVENIDA

Na época 2001/2002 o CREA renasce com este grupo de ‘viciados’ pela modalidade, em autogestão, com estrutura autónoma, contando com o apoio total da direcção do clube, funcionando de uma forma independente e com o espírito de promover, de ensinar, de praticar, de iniciar e de competir.Tem participado em torneios federados,torneios abertos e alguns internacionais.

Na época de 2002/2003 o CREA-badminton conseguiu um total de 45 primeiros lugares e 66 segundos lugares em provas do circuito de badminton nacional em séniores e não séniores.

Em 2003/2004 o número de praticantes aumentou consideravelmente tendo obtido um total de 50 primeiros lugares e 42 segundos lugares em provas de séniores e não séniores.

Recentemente, o CREA notabilizou-se como um clube de formação, demonstrado pela quantidade de atletas de topo a nível nacional que iniciaram a sua formação no CREA. O CREA também conta com várias chamadas para selecções nacionais e participações em campeonatos internacionais de atletas não-séniores do clube. Para além disso, o CREA orgulha-se de em anos recentes ver todas as épocas vários dos seus atletas Séniores subir de Categoria, vários deles atletas que iniciaram a sua práctica desportiva no CREA.

A nível individual, o CREA tem conquistado vários títulos a nível regional e nacional, com especial incidência para as categorias Séniores mais baixas (C e D), em que se tornou uma presença constante nos lugares cimeiros dos rankings nacionais, com a conquista de vários Campeonatos Nacionais.

A nível de equipas Séniores, destaca-se os três Vice-Campeonatos na 2ª Divisão da Equipa Masculina Sénior consecutivos (épocas 2015/2016, 2016/2017 e 2017/2018) e o 3º Lugar na 2ª Divisão da Equipa Mista Sénior na época 2016/2017. Para além disso, a Equipa Feminina Sénior é presença assídua na 1ª Divisão, na qual se destaca o 4º Lugar na época 2017/2018.

Nas provas de equipa Não Seniores, a Equipa Masculina sub-17 ficou com o 3º lugar do pódio na época 2013/2014 e no ano seguinte obtém o 2º lugar (época 2014/2015). Mais tarde, a mesma Equipa viria a ganhar mais um 2º lugar, desta vez no escalão sub-19 (época 2016/2017).

Clube Raquete Estrelas da Avenida